sábado, 6 de setembro de 2014

O caso do bêbado mirim


  Esse aconteceu em 1971, no Sri Lanka (antigo Ceilão), no subúrbio de Colombo. Um guri de nome Sudith que nem completara ainda os dois anos de idade insistia com sua família que seu nome em outra vida era Sammy. Segundo o garoto, ele vivia em Gorakana com sua mulher, Maggie e que era um vendedor de araca engarrafada (uma espécie de bebida forte destilada de arroz e melaço). Um dia, bebeu demais e brigara com a esposa. Saiu de casa para andar e foi atropelado por um caminhão (morreu, claro).
    O menino apresentava desde cedo gostos estranhos para uma criança, como araca e cigarros, além de determinado tipo de roupa que não era comum para a sua idade. Tinha um temperamento brigão e às vezes, violento, mas também tinha rompantes de generosidade. Ele também vivia insistindo que o levassem a Gorakana. Um monge foi chamado e conversou longamente com Sudith. Depois, com anotações em mãos, foi à Gorakana e descobriu o seguinte:
     Até seis meses antes do nascimento de Sudith, um homem vivera em Gorakana. Seu nome era Sammy Fernando e ele fora um operário de ferrovia e vendedor de araca. Teve uma mulher chamada Maggie e seu pai chamava-se Jamis. Sammy morrera, segundo testemunhos, atropelado por um caminhão em frente de casa, logo após uma briga com a esposa. Diziam que era um homem violento e brigão, bebia feito um gambá, tinha uma generosidade impulsiva e era fumante inveterado.

    O caso atraiu a atenção de muita gente e foi estudado por Ian Stevenson, professor de psiquiatria da Universidade da Virgínia e diretor do departamento de estudos de personalidade, no centro médico da universidade. Estudioso sério, Stevenson pesquisou cada detalhe do caso Sudith e não conseguiu encontrar nenhuma falha nos relatos da criança.
  Certa feita, a família de Sammy visitou Sudith que, mesmo nunca tendo visto aquelas pessoas, correu para a mulher, chamando-a de Maggie. Abraçou-a, disse que a amava e culpou-a pela sua morte. A criança também tinha medo de policiais e um terror patente de caminhões.

Fonte: Wicca, Reencarnação, n 35. Eddie Van Feu. Editora Modus.
Conheça o blog oficial de Eddie Van Feu: http://omundodeeddie.blogspot.com.br

0 comentários:

Postar um comentário