sábado, 6 de setembro de 2014

Karma familiar

   O Karma familiar está ligado às pessoas de nossa convivência. É muito comum vermos famílias em que os membros se detestam. Há um tipo de violência familiar que não se explica de outra forma, senão pelo Karma. É um caso típico de pessoas que dividiram vidas anteriores e levam para essas vidas seus antigos relacionamentos. Casos de abusos de criança, ou complexos de Édipo são resquícios de antigas paixões incontroláveis. Casos de violência e distanciamento emocional são exemplos de inimigos de outrora que voltam sob o mesmo teto e com o mesmo sangue, na tentativa de resolverem suas diferenças.

   A família é o núcleo da sociedade. É como se fosse uma miniatura do mundo em que vivemos. Se ela possui ranços e problemas sérios e entrega-se à decadência emocional e afetiva, o que podemos esperar da sociedade, seu reflexo?

    O Karma familiar é um dos mais difíceis de lidar. Especialmente porque ele está exatamente entre o Karma pessoal e o social, o que pode atrapalhar ainda mais o relacionamento entre pais e filhos, maridos e esposas. É difícil também porque precisamos criar uma conexão com pessoas que muitas vezes nos prejudicaram ou foram prejudicadas por nós. Há muita mágoa e rancor dos dois lados. Aí, você pergunta: "E de quem foi essa ideia de jerico?" Apesar de não parecer, é uma ideia brilhante. O karma familiar é um dos últimos recursos para aprendermos a conviver com diferenças e superar o ego em detrimento do amor ao outro. Por mais que sua mãe tenha diferenças com você, há um elo inquebrantável entre vocês e isso vai ajudar a superar as pendengas do passado. Se você não suporta pessoas do seu trabalho, pode pedir demissão. Se você odeia seus vizinhos, pode se mudar. Mas com a família, a história é outra. Não dá para fugir. Temos que resolver.

Fonte: Wicca - reencarnação. Número 36. Eddie Van Feu. Editora Modus.
Visite o blog oficial de Eddie: http://omundodeeddie.blogspot.com.br


0 comentários:

Postar um comentário