segunda-feira, 12 de maio de 2014

Cerimônias Élficas


Os livros de referência para Forgotten Realms costumam ser bastante econômicos para que se tenha uma visão mais abrangente da cultura élfica e se possa interpretar em um nível mais aprofundado. Neste caso, resolvemos colocar informações retiradas e adaptadas do livro mais completo neste sentido, o antigo "Complete Handbook of Elves". Este, no entanto, é um livro "genérico" para os elfos de AD&D 2ª Edição e estas informações estão sujeitas a adaptações para o mundo de Forgotten Realms. Informações sobre aspectos religiosos foram retiradas e adaptadas do Faiths and Pantheons.
    Celebração do nascimento: o nascimento de um elfo é motivo de grande alegria e vilas param para comemorar com os pais e oferecer presentes. As celebrações duram dias e são concluídas com a atruibuição do nome ao recém nascido. Os elfos recebem dois nomes: um público e um secreto, conhecido apenas por seus pais, por ele próprio e pelo sacerdote que preside a cerimônia e só é revelado por ele a alguém em sinal de amor ou respeito.
    Maturidade: Uma cerimônia formal anuncia a maturidade do elfo, que deixa a casa de seus pais. A ele são oferecidos presentes de acordo com sua inclinação. Os mais idosos contam suas aventuras de juventude e desejam boa sorte aos novos que seguirem seus passos.
 Casamento: É um momento de grande alegria e muito mais raro entre os elfos do que entre as criaturas de vida curta. A cerimônia, realizada por sacerdotes de Celanil, é considerada tão sagrada que existem poucas coisas mais perigosas do que profanar este ritual. Se algum elfo, por exemplo, resolver matar um dos noivos, terá a ira dos outros para sempre e será caçado junto com sua linhagem por toda a eternidade. O enlace dura, salvo raríssimas exceções, até a morte do parceiro. Eles trocam juras que unem o espírito e o coração um do outro, em uma união tão profunda que ficam conscientes das necessidades e emoções do parceiro, mesmo que não possam ler seus pensamentos. Aqueles que não desejam partilhar a intimidade em tal nível, preferem viver juntos sem realizar a cerimônia.

     Somente a mais grave das tragédias e traições pode separar um casal. Mesmo que briguem, ainda assim continuam a se amar. Mesmo com toda esta comunhão, pode acontecer de um elfo afastar-se de seu conjugue por longos períodos, seja para buscar o crescimento como para avaliar seu relacionamento e torná-lo melhor. Porém quando retornam, os sentimentos permanecem vivos e frescos.
    Juramento de Sangue: Nem sempre os elfos são pacíficos. Se gravemente insultados ou feridos, ou tiverem amigos que o foram, podem fazer o juramento sagrado de vingança, feito na hora mais escura antes do alvorecer. Os outros elfos entendem o caráter do juramento e liberam o elfo vingador de suas tarefas para cumprir o seu voto. A vingança normalmente é fazer com que o ofensor pague a mesma ofensa que cometeu, ou fique por algum tempo prestando serviço ao ofendido. Em outros casos, porém, somente a morte irá satisfazer o juramento de sangue.


0 comentários:

Postar um comentário