quarta-feira, 30 de abril de 2014

Vendida

 De todos os meus pesadelos recorrentes com os elfos, sem dúvida, este foi o pior. Eu não queria postá-lo aqui porque o acho muito forte, mas, ontem, uma leitora minha me perguntou por quê eu considerava estes sonhos como pesadelos. É porque eles são pesadelos. Se depois de ler este sonho, esta garota ainda pensar que isso não é um pesadelo, eu vou achar que ela é masoquista.

19/03/13

 Semana passada, eu sonhei que estava em algum tipo de alojamento, com um grupo de jovens. Gion estava comigo. Não sabia bem o que estava havendo, mas estávamos sendo atacados por um ghoul. Um a um, os jovens elfos eram caçados e mortos. Não parecia ser uma brincadeira ou uma simulação, como Freddie costuma fazer. Percebi isso quando os outros elfos do mal, invadiram o alojamento, atacando com flechas. Gion se feriu com uma dessas flechas que a acertou um pouco acima do tornozelo. Consegui fugir de lá, com Gion, apesar dela estar muito ferida e caminhar com dificuldade. Ela se apoiou em mim e caminhamos juntas.
  Quando passávamos em frente a uma escola, um grupo de buscas (semelhante ao FBI) veio ao nosso encontro e a família de Freddie também. Freddie e Wili tentaram nos guiar até à casa deles.
  Me lembro de estarmos, os quatro, dormindo em sacos de dormir, em corredor semelhante a um hospital. Quando Gion e eu fugimos. Freddie nos seguiu, mas acabou nos perdendo de vista.
 Gion e eu, nos vimos em caminhos de difícil escolha; à nossa esquerda, estava o alojamento; à nossa direita, a vila dos elfos selvagens; à nossa frente, a escola; e atrás de nós, havia um bosque o qual conheço muito bem. Muitos elfos da luz costumam ir brincar ali. Havia também, caminhos desertos que levavam à fazendas. E escolhi ir para a Vila dos elfos selvagens, e não poderia ter escolhido o pior caminho!
  Toda a luz que havia no céu, aos poucos, desapareceu, a medida que  entravámos naquele lugar mais escuro ficava. Lá é sempre noite. 
  Encontrei Darla e Marina. Elas me levaram para uma taberna. À essa altura, eu já havia chamado a atenção de todos os elfos selvagens (elfos do mal). Primeiro, por ser humana. E,  segundo, por ser a única mulher ali, além daquelas elfas vadias que estavam comigo. Todos aqueles elfos me olhavam como lobos famintos. Fiquei com muito medo.  Pensei em voltar para trás, mas um grupo de elfos estava impedindo minha passagem. Não podia me arriscar. Darla era minha única chance de sair daquele inferno e eu precisava segui-la. Ela me tiraria dali, certo? 
  Um anão negro, muito feio, veio ao nosso encontro. Ele almejava ficar comigo. E o pior é que Darla estava combinando com ele uma quantia. A maldita estava me vendendo.
Eu fiquei desesperada. De jeito nenhum eu ficaria com um serzinho nojento e feio daquele. Se eu tivesse de ser forçada a ficar com alguém, esse alguém seria um elfo. Não um anão. Todos os elfos selvagens eram brancos, loiros. Pareciam aqueles motoqueiros que passam nos filmes. Tinham os cabelos longos e loiros.
  Dois desses elfos estavam passando por ali. No desespero para me livrar daquele anão filho da mãe, eu dei em cima dos dois elfos. Sugeri que Marina e eu poderíamos ficar com eles, que nós nos divertiríamos muito juntos. Eles gostaram da ideia. Um dos caras nos chamou para ir até um quarto com ele. 
 O anão se irritou e disse que ele é quem iria ficar comigo. Um dos elfos bateu nele e o arrastou até um quarto e o trancou lá.
  Quando Marina e eu entramos no quarto com o elfo, Darla nos seguiu. Ela e o elfo já foram para a cama e começaram aquela desgraça.
Me senti muito desconfortável em ver aquilo. Em geral, eu não estou acostumada a ver os outros em momentos tão íntimos. Eu sou tão lésbica que sempre viro o rosto quando passa uma cena dessas em algum filme. Então, aquilo me chocou muito. Fui para o banheiro e me tranquei lá. Me aproximei da janela de vidro. Era um quarto alto. Eu poderia pular e tentar fugir, mas haviam muitos elfos lá fora. 
 Gion, que até então estava escondida em meu corpo, saiu por uns instantes e encheu a banheira. Ela estava muito séria. Pensativa. Me despi e me afundei na banheira.
  Darla e Marina sabiam que eu estava com medo e fizeram comentários maldosos só para me assustar mais ainda.
 Darla disse que o elfo era bem dotado. E Marina disse que eu era muito fofa pra ele, que provavelmente, ele me machucaria. Eu fiquei no banheiro o máximo que pude, até Darla e Marina baterem na porta histéricas e disserem que era minha vez.
  Eu me vesti chorando. Gion voltou para dentro do meu corpo. Abri a porta e voltei para o quarto.
Me aproximei da cama. O elfo estava completamente nu (e eu tenho muito nojo de caras nus, por deus!) deitado na cama. Ele queria que eu subisse nele. Eu pensei numa forma de me livrar dele, e graças a deus ou ao diabo, eu acordei antes de precisar tocar naquele monstro.

Este foi um dos meus piores pesadelos que me fazem chorar até hoje, quando me lembro.
Desde este sonho, tomei trauma de anões, duendes e coisas do tipo.
Também odeio Darla e Marina mais que tudo! Elas não podiam ter feito isso comigo.
Foi a pior tortura para uma garota como eu, que sente nojo de homens. Os únicos caras que gosto são fofinhos como os Backstreet Boys e o Alex. Não estes monstros asquerosos.

 Copyright © 2014

3 comentários:

Pelos Deuses! Agora eu pude entender o porque de você odiar ter esses sonhos. E com toda razão! E você tem motivos suficientes para não gostar de Marina - que tipo de elfa é essa? -, e foi muita sorte ter acordado antes de acontecer alguma coisa. Se fosse eu, nem ferrando me deitaria com um elfo selvagem!
Mas então, Dani, se você pudesse parar com esses sonhos, o faria? Porque tem o Alex, e talvez você não o encontrasse mais..
 
Eu não sei Viih.
Tudo o que eu mais quero nesse mundo é me livrar destes malditos sonhos, mas não queria deixar de sonhar com o Alex.
 
MEU DEUS '-' sério... isso foi... nossa sinto muita pena de vc <3 sério vc deve ter sofrido mt... não gosto mais de elfos por isso...
 

Postar um comentário