quinta-feira, 24 de abril de 2014

Os elfos adoram o Jogo Do Copo


 Boa noite a todos que estão lendo este post.
Desde ontem, eu decidi que iria postar aqui, neste blog todas as minhas experiências com os elementais da Terra, em especial, os elfos. Algumas experiências eu tive acordada, e algumas vezes, acompanhada por uma outra pessoa, que se, questionada, certamente, poderá confirmar que eu não estava delirando ou imaginando coisas. Outras destas experiências aconteceram em viagens astrais ou em meus pesadelos recorrentes. Para que ninguém se confunda, eu sempre vou avisar quando uma experiência, aqui, descrita se tratar de um pesadelo recorrente ou de um evento físico, ocorrido enquanto eu estava bem acordada.

   Bem, vamos lá!
Depois que me mudei novamente (minha mãe deve ter sido cigana em uma outra vida, já que adora se mudar com frequência e conhecer novos lugares e novas pessoas), eu fiquei um pouco deprimida. Já era a quarta vez que eu me mudava no ano! Eu tinha acabado de sair de uma casa linda e enorme para me mudar em uma casa minúscula. Meu irmão André foi morar na casa de uma amiga da minha mãe porque nós dois brigávamos muito. Danilo foi levado pela minha avó porque ela era muito apegada a ele e ele a ela - ele a chamava de mãe, em vez de chamá-la de avó- . Ficamos apenas o Thiago e eu. E, claro, dois vira-latas travessos.
   Eu passava o tempo inteiro no quarto, ouvindo música. Eu era obcecada pelos Backstreet Boys e assistia um DVD deles sem parar. Perdi as contas de quantas mil vezes por dia eu ouvia Everybody sem parar. Sem parar! RsRs.
  Meu irmãozinho brincava com os cachorros (Bily e Bolinha).
Uma tarde, ouvimos um barulho forte vindo da cozinha. Fomos olhar. Tá, falando sério. Eu não queria deixar de ver os Backstreet Boys para ir ver o que estava acontecendo na cozinha, mas meu irmão de quatro anos era insistente. Fomos até à cozinha e eu era tão burra que acreditei que o barulho vinha do armário embaixo da pia, quando na verdade, ele vinha de cima dela. Meu irmãozinho apontou para o copo em cima da pia e eu levei um susto. O copo (de alumínio) estava se movendo sozinho. Não estava flutuando. Estava sendo arrastado de um lado e outro como se tivesse um rato embaixo dele. E foi justamente o que pensei, que fosse um rato. Eu sempre tive um medo terrível de ratos e nem em sonho, eu ia erguer aquele copo!
   Meu irmão caçula era muito corajoso naquela época (era, hoje, se ele ver um copo se movendo sozinho de novo, sai correndo que nem um gato quando dá de cara com um cachorro!) e decidiu erguer o copo. Ela teimava comigo que era uma formiga quem estava embaixo do copo.
-Um formiga não tem tanta força! Tenho certeza de que um rato! - Eu disse mais ou menos isso.
  Ele ergueu o copo e, para a nossa surpresa, não havia nada embaixo dele. Nem mesmo uma formiga.
   Eu tive certeza de que fora um espírito quem movera o copo.
Thiago e eu contamos o que houve a nossa mãe, mas ela não acreditou na gente. E, depois, disse que, numa hipótese de aquilo ser mesmo real, fora um fantasma!
  Lara, você queria saber como eu me tornei sádica? Agora já sabe! Foi com a minha mãe. Ela sempre assim. Se você dizia: - Mãe, tem um monstro embaixo da minha cama!
Ela dizia: - Durma ou ele vai sair daí e pegar você!

   Copyright © 2014

0 comentários:

Postar um comentário