quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Pigmeus


Os Pigmeus constituíram uma nação de anões e seu nome deriva de uma palavra grega que significa uma medida correspondente a cerca de treze polegadas (uma polegada equivale a 2,54 centímetros), que segundo se acreditava, era a altura daquela gente. Os pigmeus viviam perto das nascentes do Nilo, ou, de acordo com outros, na Índia. Homero conta que os grous costumavam emigrar , todos os invernos, para o país dos pigmeus, e seu aparecimento era sinal de uma sangrenta guerra com os diminutos habitantes, que tinham de pegar em armas para defender os trigais contra os estrangeiros. Os pigmeus e seus inimigos, os grous, serviram de assunto de a diversas obras de arte.
  Escritores mais modernos falam de um exército de pigmeus que, encontrando Hércules adormecido, preparou-se para atacá-lo, como se tratasse do ataque a uma cidade. O herói, contudo, tendo despertado, riu dos minúsculos guerreiros e, embrulhando alguns em sua pele de leão, levou-os para Eristeu.
 Milton utiliza-se dos pigmeus para uma comparação no Paraíso Perdido:

"Os pigmeus que vivem além da Índia
Ou os elfos gentis, cujos folguedos
Os camponeses veem (ou sonham ver)
Nas clareiras da mata e junto às fontes."

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Legolas

Legolas Greenleaf (nos países lusofonos conhecido como Légolas Verdefolha ou Légolas Folha Verde), dentro do universo de fantasia criado pelo escritor J.R.R. Tolkien, foi um elfo Sindar, filho de Thranduil, rei da Floresta das Trevas. Em 3019 da Terceira Era, Legolas foi a Rivendell como mensageiro dos elfos de sua terra. Lá participou do Conselho de Elrond, onde se juntou à Sociedade do Anel representando toda a raça élfica. No filme de Peter Jackson o personagem foi representado por Orlando Bloom.

Legolas é filho (aparentemente único) de Thranduil, rei do norte da Floresta das Trevas. Apesar de seu pai ter aparecido ativamente no livro O Hobbit (chamado apenas de Rei-Élfico) Legolas teve sua primeira aparição no livro A Sociedade do Anel durante o Conselho de Elrond. Ele foi o representante do povo élfico na Sociedade do Anel que levou o anel ao sul. Quando a Sociedade do Anel partiu de Lothlórien, o presente que Legolas recebeu foi um arco longo dos Galadhrim, junto com outros presentes que Galadriel e Celeborn deram a ele e aos outros da Sociedade, como capas élficas e lembas.

Legolas acompanhou a Sociedade até o combate em Amon Hen, de onde seguiu com Aragorn e Gimli em sua jornada por Rohan perseguindo os Uruk-hai que haviam capturado alguns de seus amigos.

Legolas mais tarde recebeu um aviso de Galadriel (por meio de Gandalf, que retornara da morte):

    "Legolas Verdefolha, o bosque é teu lar!

    Alegre viveste. Cuidado com o Mar!

    Se na praia gaivotas gritarem por ti,

    Descanso jamais acharás por aqui."

    

     Junto com os cavaleiros de Rohan e ao lado de Gimli e Aragorn, Legolas lutou na Batalha do Abismo de Helm, a grande fortaleza de Rohan.

    Os três caminharam através da Senda dos Mortos para tomar os navios dos Corsários em Pelagir e então embarcarem para a Batalha dos Campos de Pelennor.

    Após a 2ª Guerra do Anel, Legolas viajou pela Terra-Média com Gimli para que ambos pudessem cumprir suas promessas: viajaram às Cavernas Brilhantes e à Floresta de Fangorn.

    Na trilogia dirigida por Peter Jackson, Legolas foi interpretado pelo ator Orlando Bloom. O Legolas dos filmes apresenta uma personalidade ligeiramente diferente do Legolas dos livros. Nos filmes, Legolas é um guerreiro nato, sempre alerta e pronto para a ação. É capaz de enfrentar vários inimigos ao mesmo tempo e realiza cenas "impressionante" de ação, seja saltando em cima de um cavalo em movimento ou surfando escada abaixo em cima de um escudo. Cenas que chamaram bastante a atenção nos filmes, e que seriam plenamente possíveis, pois elfos tem um equilíbrio muito superior ao dos humanos. O livro inclusive menciona uma passagem em que, para a Sociedade do Anel chegar às terras de Lothlórien, precisavam cruzar um rio. O problema é que os elfos cruzavam esse rio amarrando uma corda nas árvores em cada extremidade e correndo por cima dela.

    Outras características élficas descritas nos livros dizem respeito a visão e audição muito mais aguçadas (vendo perfeitamente coisas há várias milhas de distância), uma pontaria infalível (no livro, essa pontaria é tão boa quanto a dos hobbits), a capacidade de andar sem fazer barulho ou deixar pegadas, leveza (a ponto de andar sobre a neve e subir num cavalo com um único salto), uma grande afinidade com a natureza (Legolas acreditava que poderia entender os pensamentos das árvores em Fangorn) e um equilíbrio invejável. Outras peculiaridades incluem o sono: os elfos de Tolkien dormem em pé e com os olhos abertos, e por isso os humanos podem achar que eles não dormem.

     Os Anões são tradicionais rivais dos elfos na Terra-média, e uma raça não tem muito apreço pela outra por causa de alguns incidentes no passado (talvez o Saque de Doriath feito pelos anões tenha sido o maior deles), mas a relação entre Legolas e o anão Gimli parece não levar isso muito a sério. Inicialmente na Sociedade eles discordavam um do outro, mas logo o companheirismo em batalha os transformou em grandes amigos. Mesmo depois do fim da Guerra do Anel continuram algumas aventuras juntos, e é dito que Legolas tenha construído um barco e navegado com Gimli para Valinor.

    A idade de Legolas é um objeto de bastante especulação, pois não há nos livros nenhuma fonte especificando corretamente sua idade, portanto aqui há apenas algumas suposições:

    Acredita-se que Legolas seja um elfo jovem, mas a única certeza é que ele tem mais de 500 anos, pois é dito no livro que 500 anos seriam pouco na vida de um elfo como ele (elfos atingem a maioridade entre os 50 e 100 anos), além dele próprio dizer, quando está em Rohan, "Não o vejo... Há uns 500 verões...".

    Além disso, em nenhum dos importantes momentos das Eras anteriores ele é mencionado. Ele também afirma que a primeira vez que foi a Lorien foi junto da Sociedade do Anel, o que permite a suposição de que ele não estava junto de seu avô, Oropher, quando este deixou Lorien e fundou seu reino em Mirkwood, a Floresta das Trevas, no meio da Segunda Era, o que o colocaria como um dos elfos mais jovens da Terra-média.

    Apesar disso, em O Senhor dos Anéis, Legolas muitas vezes refere-se a seus companheiros de viagem como "crianças", e quando chega a Fangorn, diz que se sentia jovem de novo pela primeira vez desde que havia partido com a comitiva.

     O livro também nunca menciona a cor dos cabelos de Legolas, mas seu pai, Thranduil, possui cabelos dourados. Os sindar, de modo geral, têm cabelos claros. O autor menciona, no entanto, o fato de o elfo ser muito belo. Na adaptação de Peter Jackson, o Legolas interpretado por Orlando tem cabelos lisos e claros.

Filme: O Hobbit, uma jornada inesperada

The Hobbit: An Unexpected Journey (no Brasil, O Hobbit: Uma Jornada Inesperada; em Portugal, O Hobbit: Uma Viagem Inesperada) é um filme de 2012, sendo uma adaptação em três partes do romance O Hobbit, de 1937, do escritor britânico J. R. R. Tolkien. Peter Jackson que dirigiu a trilogia cinematográfica O Senhor dos Anéis, está dirigindo, produzindo e co-escrevendo as três partes , que deveria inicialmente ter Guillermo Del Toro como diretor. O filme é estrelado por Martin Freeman como Bilbo Bolseiro, Richard Armitage como Thorin e Benedict Cumberbatch como Smaug.

 Vários atores da trilogia O Senhor dos Anéis irão reprisar seus papéis, como Ian McKellen, Andy Serkis, Hugo Weaving, Cate Blanchett, Christopher Lee, Ian Holm, Elijah Wood e Orlando Bloom.  (Ufa! Eu torci demais para o Legolas aparecer nesse filme.) Além disso, o compositor Howard Shore, que compôs a trilha de O Senhor dos Anéis, confirmou seu papel nas três partes do filme. As três partes foram intituladas de The Hobbit: An Unexpected Journey, The Hobbit: The Desolation of Smaug e The Hobbit: There And Back Again, as duas últimas partes agendadas para serem lançadas 13 de dezembro de 2013 e 18 de julho de 2014 respectivamente.

 O Hobbit segue a jornada de Bilbo Bolseiro, que é levado para uma aventura épica para recuperar o tesouro dos anões, que há muito tempo foi roubado por um dragão chamado Smaug. Convidado de repente pelo mago Gandalf, o Cinzento, a entrar na aventura com mais 13 anões liderados pelo lendário guerreiro Thorin. Sua viagem vai levá-los para a vida selvagem; por terras traiçoeiras cheio de goblins e orcs, wargs e aranhas gigantes, metamorfos e magos e até que finalmente Bilbo Bolseiro encontra Sméagol, onde ele ganha a posse do Um Anel, que está ligado ao destino de toda a Terra Média.

Hobbits

     Um hobbit é uma das criaturas apresentadas por J.R.R. Tolkien em suas obras (notavelmente O Hobbit e O Senhor dos Anéis), onde têm um papel principal, apesar de à partida serem um povo secundário entre os que habitam a Terra Média.

 Os hobbits são um povo discreto e muito antigo, normalmente não ultrapassam um metro de altura, são bem menos robustos que anões e consideram a possibilidade de participarem de uma aventura como uma atitude insana, pois preferem a calma de sua vida rotineira, amam uma região campestre organizada e bem cultivada. São agéis pois acostumaram-se a fugir dos "homens grandes", conseguiram tanta experiência nessa área que pode-se confundir com magia, porém, hobbits nunca tiveram interesse em magia, além disso, hobbits tem ouvidos agudos e olhos perspicazes. Embora habilidosos, os hobbits não conseguem entender ou gostar de máquinas mais complicadas que um fole de forja, um moinho d'água ou um tear manual. Andam descalços, porque a sola de seus pés é muito espessa, não necessitando de calçados. Vivem em tocas grandes e confortáveis (na verdade, casas subterrâneas com um só andar e várias despensas) em uma terra ao oeste da Terra Média, chamada Shire (no Brasil o nome do local foi traduzido para "Condado").

Há três raças de hobbits: pés-peludos, grados e cascalvas. Os Pés-peludos tem a pele mais escura, são menores e mais baixos. Não têm barbas ou botas, e suas mãos e pés são destros e ágei. Eles preferem as regiões serranas e as encostas de montanhas. Os Grados tem uma constituição mais encorpada e pesada: suas mãos e pés são maiores, preferem planícies e regiões banhadas por rios. Os Cascalvas tem a pele e o cabelo mais claros, são mais altos e esguios que os outros, também amantes de árvores e florestas. Menos numerosos, têm um contato mais amigável com os elfos do que os outros hobbits, e têm mais habilidade com línguas e música do que com trabalhos manuais.

Os hobbits vivem da agricultura, presenteiam os outros em seus aniversários com grandes festas com inúmeros convidados e são um povo simples. Não se importam com o que esteja acontecendo no resto do mundo, pois não possuem tanto interesse naquilo que se encontra além do seu reino, e são famosos por sua Erva-de-fumo.

 Hobbits são populares em jogos de RPG, tanto eletrônicos como os de mesa. Entretanto, a palavra "Hobbit" é uma marca registrada pertencente à família de Tolkien. Por esta razão, Dungeons & Dragons e outras fontes se referem a criaturas parecidas a hobbits usando outros nomes, o mais comum sendo halflings (alternativas incluem hin no universo de Mystara, hurthlings em Ancient Domains of Mystery, Bobbits na série de games Ultima, kender nos livros Dragonlance, Pequeninos no RPG brasileiro Tagmar e uma reinvenção online Tagmar II) e conhecidos também por kithkin no jogo de cartas Magic The Gathering